quarta-feira, 29 de abril de 2009

O Petróleo de Petrolina


Descobri que meu tempo biológico para atualização do Blog é de 15 em 15 dias. Esse é o período certo onde sempre acontece alguma coisa que fica martelando na minha cabeça e é preciso cuspi-la pra fora dela em palavras. Quando eu ultrapasso esse tempo é porque ou estava emendando uma viagem atrás da outra ou a universidade pegou no pé. O meu atraso recente é devido à combinação dos dois.

Deixando minhas lamentações de lado, eu queria citar um recado que um dia recebi: “É incrível como por qualquer besteira o duddu diz que o mundo dele virou do avesso!”. Não foram essas as exatas palavras, mas o sentido sim. Quem a disse foi o Arthur do PKMAX (Bjo Arteba!) cerca de dois anos atrás. Lembro também que o G1 (Morra, Jean!) deu umas risadinhas de deboche em seguida.

Pra mim, era uma época de aprendizado. Eu havia começado a questionar a atividade que praticava e a me libertar da prisão que a falta de informação me mantinha. Por isso era tão comum eu ser surpreendido por opiniões de pessoas que “abriam meus olhos” para uma realidade que eu nunca havia sequer imaginado. Pensando bem, nessa época eu jamais cogitaria a possibilidade de que esses dois (e tantos outros) pudessem vir a se tornar pessoas amigas.

Três parágrafos de introdução para dizer que eu estou apaixonado pelo Jarbas. Eu acho que eu preciso aprender a resumir, né? HAUHUAHUAHUA! Mas como o Arthur diria: MAIS UMA REVOLUÇÃO! Acho que é por isso que eu não morro de amores por gringo. É que tem tanta gente foda ao meu lado, com quem tenho horrores a aprender, que eu acho desperdício de energia pensar no Brasil afora.

No feriado da páscoa, eu, Jean e o Jarbas fomos modinhar em Salvador. Nos encontramos com o Gustavo, Tchuke, Fallux, Fred e outras pessoas que espero que não fiquem bravas por não citá-las. Minhas recordações do cenário baiano para o parkour não era lá esses chocolates todos, e por isso eu fui mais com a intenção de matar a saudade desse povo todo.

Que surpresa agradável!

O bom trabalho que os baianos têm feito no Costa Azul já rende frutos: eu fiquei impressionado com a quantidade de pessoas treinando seriamente, interessadas em evoluir e trocando experiências a torto e a direita. Aprendi muito com essas pessoas e a empolgação delas serviu como um “novo gás” para os meus treinos em Aracaju. Fui muito bem tratado por todos e espero ter conseguido retribuir o carinho da mesma forma.

Mas e o Jarbas velho?

Mermão... Sei lá o que falar dele! Esse cara tem postagem no orkut desde 2005. E onde diabos ele se escondia? Petrolina deve ser onde a casa da peste fica... Só pode!

Meu primeiro contato com ele foi no último “Encontro Nordestino”, porém eu voltei pra casa com a sensação de “não aproveitei a presença do Jarbas”. Minhas condições físicas e mentais no evento não estavam as melhores e muita da diversão pra mim foi deixada de lado.

Essa viagem tinha esse carater de "resgate". Nossa... e eu acho que resgatei bem! Suguei o máximo de experiência dele que eu pude e é foda velho... o cara mora lá onde nem tem energia e computador ainda... tá... até tem... mas ele é dono de uma fibra e uma força de vontade invejáveis! Quando ele me dizia no msn “acordei hoje às 4 da manhã e treinei até as 6 antes do trabalho” parecia mentira. MAS NÃO É.

A dedicação dele e o zelo pelo parkour são admiráveis. Depois de um ano de treinos em Aracaju eu estava ávido pra conhecer novas pessoas. O Jarbas levou três. Na primeira noite ele disse: “Conhecer e estar aqui com vocês pra mim já valeu a pena a viagem... o que vier é lucro!”. Até parece! Nós fizemos a viagem valer muito mais a pena!

Foram horas de suor ao lado dele... e quando a gente se cansava... açaí pra repor as energias e voltar a treinar! Teve uma hora que eu comecei a rir da imundice que minha roupa tava e quando olhei pro Jarbas ele estava tão sujo quanto! HAAHUHUAHUHUHUHUAHUA! É um espírito de menino que contagia!

No dia em que ele foi embora, ele me acordou às 6 da manhã, me deu a camisa que usava e se despediu. Eu tava meio grogue de sono e voltei a dormir (a gente sempre ia dormir tardão da noite batendo papos). E nesse dia em especial só acordamos ao meio-dia. Quando me levantei olhei pra mim e... CARALHO! EU TÔ VESTIDO COM A CAMISA SUADA DO JARBAS!

Por mais gay que isso pareça, significou muito pra mim. É mais um gigante digno de minha admiração e que eu tenho certeza que ainda renderá ótimos momentos de parceria.

Camisas de parkour eu tenho várias... mas a do Oparra me faz pensar em quanto esse cara suou vestido nela e isso é uma inspiração e um orgulho que eu faço questão de registrar.

6 comentários:

Koxxxa - Alexandre disse...

É Duddu, amizades assim, guardamos com afinco, mano... Aproveitemos elas ainda enquanto somos jovens e cheios de gás!!!

abraços meu calanguinho do coração! beijinho no bumbum!

Jarbas disse...

meu irmão, senti uma enorme vontade de visitar o blog hoje, juro que nem sabia dessa postagem, chego aqui e me deparo com a foto acima, bateu uma imensa saudade agora, nem da pra controlar, só não vou chorar porque to no trampo, duddu, você não sabe a imensa alegria que eu estou sentindo de saber que em apenas dois encontros criei um nivel de amizade contigo que ainda não tenho com varias pessoas que conheço a vários anos, te respeito muito mais que demostro, na boa, pode ficar tranquilo que você não vai se livrar de mim tão cedo, te amo demais, faltou palavras pra descrever o que sinto.

abração meu filho. =*

Jean disse...

quanta viadagem viu. affff

Jean disse...

ai caralho! só agora que eu vi que tem eu na foto, abraçando o victor hugo! *_* digo o tchuque

Marcos Saito de Paula disse...

Eita trocadilho infame hein Duddu! Ou seria cacofonia? Enfim.

Arteba disse...

HAHAHAHAH me lembro muito bem desse comentário duddu. Não foi um comentario maldoso não, eu só achava aquilo engraçado hauehaue.
Agora, isso aqui foi quase uma declaração de amor eim, que isso rapaiz ...Jarbas ta fraco não, conquistando corações hauehaue...