sexta-feira, 20 de novembro de 2009

525.600 minutos



Faz 10 dias que fiz aniversário e ainda não fui ler as mensagens que recebi no orkut. No ano passado eu lembrei de desativar esta opção, mas atualizando o profile, ou sem querer, eu devo ter recolocado. Isso me fez comparar o duddu de quatro anos atrás e o que hoje eu vejo no espelho.

Sempre amei aniversários. Esperava o ano inteiro pelo 10 de novembro, dava dicas aos meus pais e familiares das coisas que eu gostaria de receber, não chegava ao cumulo de anunciar para todos o “hoje é meu aniversário”, mas amava receber telefonemas, mensagens fonadas, cartões... Até o cantar dos “parabéns pra você” era foda pra mim. Um rito de passagem. Uma celebração de pessoas dizendo que me amam. Um retorno de tudo aquilo que devotei a elas o ano inteiro. Um feedback que meu ego precisava para saber e mesurar o quanto eu era querido.

Meu deus como eu era tolo e egoísta! Não posso dizer que o Parkour me fez mudar nesse aspecto, mas posso dizer que a convivência com as pessoas que ele trouxe pra minha vida sim. Minha consciência de quem eu sou, e do meu papel no mundo e sociedade foi muito influenciado por elas. E logo eu que sempre me vi como fortaleza onde somente eu sabiamente escolheria os rumos a tomar. Pois é, quanta balela... Hoje enxergo que muito do que sou é reflexo das boas companhias (sim, apesar de tudo vocês são boas companhias) que eu tive.

Sinto que estou perdendo o foco do meu texto; deixar o fluxo da consciência e minhas memórias tomarem conta dos meus dedos não deve ser algo legal de se ler, então voltarei ao meu aniversário. Ele não significa mais nada do que significava há quatro anos. Tá lá no meu orkut mais de uma centena de recados e a única certeza que tenho é que a esmagadora maioria me desejou felicidades pela convenção social (e o lembrete de datas do orkut).

Meus amigos me desejam coisas boas todos os dias. Meus pais e irmãos demonstram amor por mim todos os dias. As pessoas que me cercam me tornam uma pessoa melhor todos os dias. Porque diabos então eu precisaria de um dia para ser lembrado e homenageado? Nesse momento eu só consigo escutar a voz do Edi gritando “capitalismo” na minha cabeça... hahahahhaha! A cada dia estou mais certo disso. Vivemos em um mundo altamente capitalista onde o peso de datas festivas faz engordar as fatias de lucro dos mercados. Não me sinto bem sendo manipulado dessa forma.

Faz quatro anos que deixei de dar presentes a meus pais nos aniversários e dia dos pais. Minhas irmãs sempre cobram a caixinha enrolada numa fita, e pior, elas ainda contabilizam quantas eu já estou devendo. HAHAHAHHAHAA! Mas eu faço questão de tentar fazer dos 365 dias do ano deles, um aniversário. Eu as vezes não consigo. Sou burro pra caralho. E embora não pareça, eu acho que tenho muito problema em demonstrar sentimentos pras pessoas que gosto. Tenho mudado esse traço de personalidade, mas ele ainda se encontra meio rude.

Podem não acreditar, mas isso é muita verdade! O duddu que se apresenta nos eventos de Parkour e pros novos amigos é ainda um projeto. Estou em uma mudança de valores constante desde que o Parkour entrou na minha vida e acredito que uma conversa de 10 min com minha mãe revelam isso pra qualquer um... ahauahuahuahuahuahuhuahua!

Fugi do tema de novo... eta cabrunco! É hoje! ¬¬

Enfim, se você é um dos scraps que eu não respondi, não pense que eu não dei bola pra ele... tenha certeza! Cada um sabe o impacto que causa na vida do outro e eu mesmo nunca imaginei estar cercado por pessoas (que não fossem familiares) por quem eu estaria disposto a me sacrificar.

Uma data é apenas uma data. E esse duddu não precisa mais de um dia festivo onde alguns terão a obrigação de dizer o quanto ele é especial. A verdade é que esses “alguns” já fazem todo o meu ano ser especial.

“NO DAY BUT TODAY!
MEASURE YOUR LIFE IN LOVE!”


(Rent - Os Boêmios)

8 comentários:

Gabrol disse...

Parece o que a minha mãe sempre me diz, pra dar valor pra ela todos os dias, e não só no dia das mães, hahahaha.

Cya

Ícaro Iasbeck disse...

você ta cada dia mais fresco!

Felipe disse...

Morra!

Edi disse...

(L)

Adriano (pop) disse...

Foda-se o capitalismo.. eu quero o meu scrap respondido ¬¬'

Jarbas disse...

postei no seu scrapbook, mas voce sabe que te amo todos os dias né?!!! =*

Diogo disse...

pqp
MEASURE YOUR LIFE IN LOVE!
muito foda

Cat Parkour disse...

Essa metamorfose ambulante!