terça-feira, 27 de agosto de 2013

Vovó, Por Favor, Durma.





“Você viu as galinhas do tanque de minha vó Jovina?”.


Eu queria ter visto e saber do que a senhora esta falando. Nesse momento em que sou somente eu e a senhora, em um quarto escuro, eu baixo minha cabeça e me permito rezar um pouquinho porque sei que a noite será bem longa. É uma provação?

Acenda esse candeeiro aí pra você não morrer de frio. Ele te esquenta.”

Eu não preciso de calor ou iluminação. Eu tento todo dia ficar mais forte e embora eu ainda não tenha chegado lá, eu já tenho muita energia. Eu queria muito dividi-la com a senhora agora. Sei lá, eu devo ter o quê? 5 ou 10 vezes mais do que o meu corpo precisa para continuar funcionando de forma normal? A reserva da senhora parece já estar no fim. Se pudesse com meu amor repartir esse poder: eu seria um candeeiro para esquentar a sua mente e clarear essa nuvem de confusão. A senhora iria perceber que eu estou aqui do seu lado. Mas não posso. No momento só espero paciente o dia nascer e sua debilidade acabar.

“Vamos lá espiar o que os meninos estão fazendo? Será meu deus que os meninos estão se comportando?”

Agora já é 02h30min da manhã. Eu posso ficar sem dormir, mas a senhora não. Durma, por favor. Pare de conversar com quem não esta aqui e de reviver histórias de outros tempos. Seus meninos já estão grandes e adultos: cada um em sua casa e com sua própria família. Durma que vai te fazer bem. Não se agite demais se não sua pressão sobe ou a sua glicose desce. Não! Não tente descer da cama! Eu não vou deixar! Pode reclamar que eu não vou obedecer a suas ordens!

"Você sabe onde está Elias? Será que ele está em Aquidabã?"

Eu também sinto a falta dele, mas ele não esta mais com a gente já faz muitos anos. Porque eu não herdei toda grandiosidade deste homem? Ele sempre te compreendeu e soube como te agradar em todos os momentos difíceis da sua vida. Mas eu não sei mais o que posso fazer além de ficar aqui do lado da senhora. Espero que ele esteja do meu lado neste momento também, me passando de longe energia para te ajudar. Ele sempre te amou tanto e eu a ele e a senhora. Às vezes queria que a senhora dormisse e não acordasse mais... Sua tarefa já foi cumprida e a senhora não tem maiores feitos a realizar. Se a senhora dormisse eternamente...  Elias te abraçaria de novo e a senhora estaria em paz e mais feliz do que nunca... 87 anos já é muito... Talvez eu esteja pecando e cometendo uma falta grave em pensar essas coisas, que Deus me perdoe e que a senhora me desculpe.

"E eu nem sei se mãe checou a proteção das galinhas? Amanhã vai tá tudo morta."

Já deu 4 horas e daqui a pouco outras galinhas e galos irão começar a cantar. As que a senhora fala pertence a um tempo distante e que não existe mais. Mas como fazê-la se libertar dele e voltar à realidade? Não são as galinhas que estão morrendo, mas sim a mente da senhora. A senhora desistiu de viver e se entregou a desintegração do seu corpo. Me dói muito vivenciar isso e ficar impassível enquanto a velhice come seus músculos e sua vitalidade.

"Não está com dor de estômago não? Se tiver, pega aqueles frangos, dá um jeitinho e come com galinha assada."

Não é desse alimento que eu preciso, droga! Meu estômago só dói pela impotência de não poder fazer nada. Aqui! Chegue! Vou deitar no colo e segurar a mão da senhora. Eu sei que quem deveria te confortar era eu, mas agora sou eu quem está precisando.

"Você sabe se Ziza está dormindo? Mas eles tem chegado na casa de Tia Mariquinha, né?"

Sim, sim. Ziza, onde quer que esteja e quem quer que seja, já deve estar dormindo porque o dia nasce daqui a pouco. A senhora deveria tentar dormir também. Por favor Deus, faça-a dormir!  Eu não vou sair daqui. Velarei o sono. Eu sempre penso muito na felicidade e em como ela se manifesta e agora me pergunto se a senhora ainda é feliz...  Será que a minha mãe passará por isso também? Então eu não posso deixar que ela sacrifique mais uma noite enquanto eu estou em casa, sou mais forte e posso fazer isso. Ah caramba...  Não é justo, mas infelizmente eu vou ter que acordá-la: “Mãe? Mãe? Ela quer ir pro banheiro.” - “Mãe? Mãe? Vá dormir eu fico”.

"Tio Janjão morreu? ..."

Enfim a senhora esta se acalmando e parando de falar. Obrigado Deus. É com felicidade que vejo a senhora fechar os olhos. Que assim permaneça. Boa noite, vó! E durma bem. Amanhã a gente acorda de novo e continuaremos vivendo.

Um comentário:

Sayuri disse...

Muito legal o texto Duddu...e que agonia hein XD