segunda-feira, 8 de setembro de 2008

A Manobra

O parkour que pratico é cheio de manobras.

Pode espernear, apertar o "x" ali do canto, me chamar de moda ou abrir seu caderno de decorebas. Até que encontre um motivo justo para o contrário, essa é a minha atual forma de pensar.

Parkour protege o seu e o meu direito a liberdade.
Então, como explicar porque nós, praticantes, nos importamos tanto em criar rótulos universais?

Olha que legal:

- Duddu, me ensina a manobra "kong vault"?
- Que moda! No parkour é MOVIMENTO!
- Duddu, me ensina o movimento "kong vault"?
- Agora sim! Você corre, coloca a mão...

Êpa êpa êpa!
O que mudou?
Sinto o cheiro fétido de hipocrisia no ar!

A mudança não foi apenas o "manobra" por "movimento".
Eu consegui passar adiante uma lição desnecessária e que, por sinal, assegura a minha superioridade.

Não é muito dificil justificar minha atitude:
Essa frase-feita engrossa as páginas de uma bíblia imaginária, em que até mesmo tracers experientes às vezes dão uma lida.

Já parou pra analisar a idiotice presente nisso tudo?
Uma porcaria de um movimento pré-fabricado com um guia de execução definido. Mas chamar de "manobra" é feio! Tem que falar "movimento" porque é chique!

Se você condena "a manobra" saiba que está sendo hipócrita se aceita o termo "o movimento". Semanticamente (nesse contexto) o significado será exatamente o mesmo!

Pegue seu dicionário ou sua gramática! Te desafio!

No mês passado, minha irmã recebeu a carta de motorista. Para aprender a manobrar o carro, ela esteve em uma auto-escola.

PERFEITO!
Parkour é a auto-escola para manobrar o meu corpo.

Se a questão toda é sobre movimentação, então o importante é me movimentar! Mas não vai arrancar pedaço se eu parar pra refletir um pouco sobre o que ouço as bocas falarem.

A vida te fez um ser pensante! Não engula, sem antes questionar, esse conhecimento que tentam derramar em sua goela abaixo! Encha-se de "porquês" ou de "comos"!

Ao ultrapassar um obstáculo, tanto faz se eu me movimento por cima dele ou se manobro meus braços e pernas para realizar exatamente a mesma coisa.

Esses nomes existem para facilitar a comunicação e o repasse de aprendizado.
APENAS ISSO.

Disse a mim mesmo que só postaria no blog quando sentisse picos emocionais:
Alegria, tristeza, dúvida... é chato escrever contrariado.

2 comentários:

Jean disse...

Concordo 100% no que vc disse, como falamos no MSN. A substituição de "manobra" por "movimento" não adianta nada se a mensagem que vc passa ainda é a mesma.

Mas ainda acho que manobra soa mais falso, e o parkour é composto pela mistura e adaptações de movimentos naturais como corrida, escalada, salto, equilibrio, etc etc. E não acho que escalar, correr, equilibrar-se, pular, sejam manobras.

duddu disse...

Jean:

O ponto da questão é esse que tocou: Não adianta substituir "manobra" por "movimento" se o sentido permanecer o mesmo.

Eu defendo a idéia de que escalar, correr, equilibrar e pular são manobras que posso executar utilizando as valências físicas do meu corpo. Não existe nada de pejorativo com a palavra.

O pejorativo é limitar o parkour a nomes, manobras ou movimentos.