domingo, 7 de junho de 2009

Sims e Nãos




Você sabe a diferença de um para o outro?
Nunca havia procurado uma resposta pra essa pergunta.

Em minha cabeça, o "não" sempre foi a escolha sábia e o "sim" a cômoda. No ensino médio eu não precisava ter uma justificativa para marcar que o item era "verdadeiro", mas precisava estar muito seguro e com as idéias muito bem alinhadas para dizer que ele era "falso".

E o que falar de influência externa?
Numa conversa entre amigos é muito melhor para sua imagem optar em concordar com o que ele diz, mas é preciso muita bravura pra dar a sua cara ao tapa e dizer "não acho", "não concordo" e "não quero" para ele.

Acho que é por ter dado minha cara a tapa muitas vezes que meu grupo de amigos é seleto. As pessoas simplesmente não gostam de receber "nãos" e eu sempre fui uma pessoa que sentia um certo prazer em distribui-los. Ser criticado, e principalmente quando você espera um elogio é algo que pode destruir um relacionamento. Minha família, com o tempo desenvolveu um escudo contra mim:

"Só pergunte a opinião do duddu se não for se chatear com o que ele pode vir a te dizer".

Por diversas vezes eu vi minhas irmãs, antes das festas, perguntarem "como estou vestida?" pra todo mundo... menos pra mim. (É que como eu tenho intimidade eu uso adjetivos como "mendiga, palhaça, pata choca, mulher de vila..."). huahuahuaua!

Mas é com prazer que em todas vezes que algo de importante estava pra acontecer com elas, eu as via se dirigir a mim e falar:
"Duddu, preciso de sua opinião/conselho".

Isso não é uma forma de egoísmo?
Eu escolho sempre ser verdadeiro comigo mesmo e não necessariamente pensando na pessoa.

No parkour é comum pedirem minha opinião sobre uma movimentação ou um video. E quando eu não conheço muito bem a pessoa, eu já cheguei ao cúmulo de perguntar:
"olha, você quer que eu fale o que vai te agradar ou o que eu estou pensando?".

Se responde que quer o primeiro eu falo tudo que achei legal, se responde o segundo eu falo tudo que achei legal e despejo a lista (normalmente grande) de coisas que achei ruim.

Foi essa a forma que aprendi a lidar com essa caracteristica humana de sempre buscar a aprovação. Pelo menos assim eu não me sinto "mentiroso" (e quem me conhece sabe o quanto odeio essa palavra).

Eu não sabia que tinha tanto a falar sobre esse assunto!
E olha que nem cheguei ao meu objetivo inicial!

Como visto acima o "não" pra mim sempre foi um amigo. Ele é o reflexo externo de meu senso crítico, de quem eu sou mentalmente e absolutamente. Mas tanta negatividade podem trazer consequências... er... negativas.

Nos últimos meses ocorreram uma sucessão de fatos que me fizeram repensar meu comportamento. A quantidade de "nãos" que eu chego a dizer diariamente me assusta. E com a ausência de um simples "sim" eu deixei, em 23 anos, de passar por experiências que teriam sido valiosas.

Convite pra ir com amigos a um show que não gosto.
Convite para se encontrar com amigos que eu não via a anos.
Convite para ficar bêbado com amigos do lado.
Convite para sair com aquela menina que dava mole e eu nem ligava.
Convite para ir com amigos a um puteiro.

Como eu posso, verdadeiramente, viver diariamente uma disciplina que me incentiva a enfrentar obstáculos, se eu usava o "não" para me esquivar deles?

Eu não estou dizendo que passarei a dizer "sim" a tudo. Mas é que muitas vezes perdemos essas oportunidades por comodidade. Não queremos sair de nossa rotina ou contrariar o nosso dilema interno de "eu gosto disso e não gosto daquilo". Como vou saber se gosto de algo sem ter provado?

E na "pior" das hipóteses, em todos os 5 exemplos que eu coloquei ali em cima, por pior que o local ou a noite fosse, eu estaria ao lado deles: amigos.

É uma nova experiência que coloca meu corpo e mente a prova. Não vou jamais fazer algo que vá me prejudicar integralmente. Eu sou o meu bem mais precioso. Mas a todas oportunidades que a vida e meus amigos fornecerem, se eu estiver certo que não trará um mal irreparável, eu vou me jogar de cabeça.

As vezes tenho medo de escrever abertamente desse jeito no meu blog porque são transformações pessoais e experiências que eu compartilho sem saber aonde irão me levar. É uma exposição? Sim, é. Mas eu não me sinto (ainda) incomodado com ela.

Então, por favor, nunca tome o que ler aqui como verdade. Eu vou errar muito e vou acertar outras vezes. Dessa vez eu apenas quero ter certeza de que deixei a porta aberta para que as coisas aconteçam.

Agradeço, em especial, ao Edi, Pop, Leleo, Bata, Ítalo, Diogo, Jean, Ísis, Bacon, Gustavo, Fred, Cintia, Monique, Ingrid, Kako, Fábio Gomes, Sayuri e ao Jim Carrey.

8 comentários:

Gustavo Bohlen disse...

Gostei especialmente desse post, duddu. E se não agradecesse o Jim Carrey no final ficaria meio feio pra ti, hein, hehehe

Foi um filme "bobo" que me fez pensar muito também, é algo que reparo em muitos tracers, essa capacidade de aprender com coisas bobas e tem que ser, inicialmente aprendemos todos os movimentos mais fodas do mundo assistindo vídeos na internet, tem coisa mais loca??

abraço mermão!

C I R O R A F A E L disse...

Eu não despejos "nãso" por ae, mas garanto que sempre cultivo a sinceridade, acho ela importantissima em uma relação qualquer que seja. Porem nos seus exemplos citados eu sempre fiz o contrario, sempre fui onde, mesmo sabendo que não ia gostar, para estar com amigos. Ja hoje em dia falo NÃO sem dó pq não vejo a reciprocidade.
O não bem ultilizado as vezes pode ser mal interpretado realmente, na verdade o não para uma pessoa pode ferir seu EGO e isso é prejuducial para sua imagem perante uma pessoa, mas ficar fingindo "sim" apenas para ser bem visto é patéticamente carencia e medo de expor quem realmente você é e o que pensa.
Gostei do texto.

C I R O R A F A E L disse...

complementando.. eu tenho um amigo (talvez meu melhor amigo) e ele não é capaz de sim nem não, ele sempre fica em cima do muro tanto em decisões quanto em opniões. Apesar de confiar cegamente nele, ele nunca sera uma pessoa que irei consultar para saber de uma opnião, ele sempre diz algo do tipo "ha pode ser que sim, mas se você quer não faça não". Acho que eu sou energico de mais ... as vezes!

Anônimo disse...

Duddu...sempre fico surpreso com suas palavras...e mais ainda fico feliz por ter fazido parte de uma evolução tão importante em sua vida amigo.
Fico muito feliz por te.
E tambem...sinto me colocado no muro..pq sou bom de avaliar, de criticar e analisar questões...mas para os outros..pq sou um medroso da porra...sempre enxergo as escolhas coerentes...porem sinto medo de escolher elas...eu havia visto o filme..pela primeira vez eu achei foda...mas como estava em uma relação e não podia faze muito..acabei por voltar ao comodismo...
baque...perdi a pessoa que mais gostava...
depois entrei em um maré de depre...comecei a refletir sobre tudo e arriscar mais na vida...como naquela musica epitafio...então viajei pra ai...e com sua presença pude tambem tomar um soco na cara e ver o quanto estava em um estado de zumbi...Valeu por tudo amigo =)

Luck disse...

Cara, cê é o cara.

Sayuri Asakawa disse...

Fatão,jah deixei de fazer grandes coisas,ou por medo,ou por achar q eu n me encaixava nakele lugar,q n era minha praia.Nas vezes q eu dizia "sim",acabava me divertindo(claro q tbm tinha vezes em q me ferrava bunito neh XD).Mas claro,sempre respeitando meus limites,qando eu via q ctz q eu n tava bem,ou sabia q ia dar merda,vinha um "não",sem peso na consciencia XD.
Mto bom o texto duddis,mto bom
bjuss
=***********

Kako disse...

poxa duddu

Acho que esse redescobrimento, e vontade de mudança é MUITO importante.
Eu já conheci o duddu do Não, e, felizmente, conheci o duddu do sim, que nos gerou consequencias positivas, e talvez eu seja prova disso. Mesmo que os seus "sims" Tenham sido na situação "é o que você quer ouvir, e não o que eu quero dizer"
Levar isso pra um patamar acima, ao ponto de cair de cabeça nas oportunidades, é um grande passo. Maior ainda vai ser fazer as pessoas que te cercam, e que já te evitavam, perceber essa mudança.
Mas a vida é um grande treino, não é ? se redescobrir e se desenvolver, mudar, ou tentar, sempre pra melhor. "ah, sua passada de SDC é diferente da minha. acho que a sua vai ser melhor pra mim tambem"
A gente conversou sobre isso, lembra ?
tive que reaprender todo o movimento, e isso é dificil.
Mas existem muitos amigos, muito alem dos que você citou na lista, que estão dispostos a acompanhar tudo isso, e te ajudar no necessario !

;*

Ícaro Iasbeck disse...

Rapaz, Você lê meus pensamentos!

Há um tempo atrás tava muito preso só com a mentalidade de "treino, treino, evoluir...". Deixei de ir em várias festas, sair com amigos, resumindo nisso que você disse!

Depois que mudei um pouco essa minha visão (parace com que você esta fazendo agora) mudou tudo, mudou para melhor! minha vida ficou muito mais animada! faz um teste para vc ver: sai uma noite com seus amigos, esquece o Parkour! aposto com vc que no outro dia você vai estar 10 vezes "melhor", com a cabeça bem mais leve!

É claro, temos que sacrificar uma coisa pra ganhar outra (troca equivalente! FMA). Como já disse tava só nos "treinos", mais que adianta só treinar, se você não viver?

Me fez refletir bastante rapaz! Continue postando, tá cada dia melhor! :D

Saudade de você!